9 de maio de 2009

Surpresa da malevolência.


A preocupação prende o que se pretende. Surpresas só existem pois não as esperamos. Balela, olha o que isso nos faz. Acaba com o ser humano e o joga na podre beleza da ilusão. Deixemo-nos sentir, afinal é fruto nosso. Talvez seja bom. Não se pensa em nada mais além do além. Poço confortável. Milhões morrem mas porque esqueceram-se. Que nos perdoe a mãe Ciência, mas atire a primeira teoria quem se não desfez por ele. Inescrupuloso e sem razão. Marx dá sua Vida por Deus, culpa dele. Insano. É a insanidade mais bem pensada e articulada em seus mínimos equívocos. Máximos. Nem é tão bonito, perigoso é. Se ao menos perguntasse o nome, a idade, a preferência. Almodóvar perdoe essa má educação. Nos graus da lente o deleite. O senhor percebeu? Não, chegou quando menos esperava. Se ele ao menos ousasse a virar voz. Inaudível grito ensurdecedor. Chantagem inoportuna. O senhor do despeito. Tem jeito de salvação. Fisionomia daquela sua, agradabilíssima. Cego não, não se faça. Vê bem. Armadura ocular oportunista. Ai de mim contrariar. Ele é mais. Existe ainda muito para se aprender desse nada. É que pouco se quer entender do muito. Muito mais que eu. É maior que eu. Supremacia. Hiperbólico conceito da mais pura humildade. Quer saber? Ninguém o definirá. Já viveu hoje? Então, o que está esperando? Permissão concedida. Ele, eu deixo. Obrigado.

2 comentários:

  1. Enjoy your blog.So kind.Good luck!
    We hope that we will have the opportunity to make friends with you.
    We invite you to come to our blog. You are welcome any time.

    http://www.china-cutter.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Pedrooo!
    gostei mto do seu texto!!!
    Escreve bem, heim, mocinho?!
    se cuida!
    bjooo

    ResponderExcluir

Abra sua mente. Despeje aqui o que sente. Faz bem.